Arquivo - outubro 2020

1
AVC: não deixe que seja você!
2
Workaholic: identifique se você é um deles
3
15 de outubro: Dia dos Professores
4
Dia das crianças: resgate a sua criança interior
5
Dicas para desenvolver inteligência emocional
6
Voltando ao trabalho sem stress

AVC: não deixe que seja você!

Você conhece os fatores de risco que causam um AVC? Sabe como agir diante de uma pessoa que está tendo um derrame ? Leia o texto e se informe, pois, com as atitudes adequadas, 90% dos casos podem ser evitados.

O Dia Mundial de Combate ao AVC, comemorado no dia 29 de outubro, foi criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2006, em parceria com a Federação Mundial de Neurologia. Esse dia tem a finalidade de conscientizar as pessoas sobre as formas de prevenção dessa doença que é uma das principais causas de mortalidade no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. (dizem ser a segunda causa de morte e a primeira de incapacidade – acho importante verificar e ressaltar)

O AVC (Acidente Vascular Cerebral) – também é conhecido popularmente como derrame – acontece quando há uma obstrução nos vasos sanguíneos presentes no cérebro. (aqui tem que verificar direito, pois tem o AVC hemorrágico e o isquêmico, que é o mais comum – eu tive o misto, ou seja, ambos. Acho que um deles é a obstrução e o outro há um rompimento) Informações recentes do estudo Global Burden of Diseases (Carga Global de Doenças) demonstraram que o risco de um AVC ao longo da vida é de uma em cada quatro pessoas.

Eu fui uma das vítimas: aos 37 anos, sofri uma trombose e um acidente vascular cerebral. Fiquei hospitalizada por mais de 15 dias e tive lesões no lado esquerdo do cérebro, na área de linguagem. De acordo com as avaliações neuropsicológica e fonoaudiológica, tive déficit de linguagem oral e escrita, atenção, memória, raciocínio lógico e  performance executiva, ou seja, habilidades cognitivas. O tratamento foi reabilitação para recuperar essas habilidades, que durou um ano aproximadamente. E, por isso, nesse dia, minha preocupação é de informar e ajudar as pessoas na prevenção.

Segundo informações de uma pesquisa da Interstroke, cerca de 90% dos AVCs são associados a um pequeno número de fatores de risco facilmente abordados e evitados. Essas informações ressaltam o impacto potencial da compreensão pública do risco de AVC e da conscientização da prevenção.

Saiba quais são os principais fatores de risco associados ao AVC: Leia Mais

Workaholic: identifique se você é um deles

Workaholic ou vício em trabalhar diversas vezes é percebido como algo positivo, digno de elogios. No entanto, a compulsão por trabalho não traz necessariamente os resultados almejados, prestígio, dinheiro ou prazer, pelo contrário. A pessoa que se dedica de forma exagerada às tarefas laborais e não realiza pausas para relaxar ao longo do dia ou não dedica tempo para o lazer, pode prejudicar muito sua saúde física e mental. Além de impactar outras áreas da vida como relacionamentos e até desencadear problemas sérios como vícios e dependências de drogas.

É comum o problema não ser tratado como deveria, pois muitos ainda enxergam como normal esse exagero em relação ao trabalho, outros pensam ser uma forma de demonstrar dedicação. Por isso, é importante observar os sinais que indicam se a pessoa é workaholic: Leia Mais

15 de outubro: Dia dos Professores

Hoje, além de parabenizar nossos mestres pelos conhecimentos transferidos e aprendizados proporcionados, quero também reforçar o papel dos professores, orientadores e mentores em outras áreas da vida. O impacto na autoconfiança, coragem, otimismo, disciplina e segurança dos alunos é grande.

– Professor, como você se prepara para desenvolver emocionalmente seus alunos? Um fator importante para o amadurecimento da criança é a autoconfiança. E para os alunos se tornarem mais confiantes, a escola e os professores precisam tomar medidas educacionais que estimulem tal característica.
– Por quê? Porque os benefícios da autoconfiança extrapolam o ambiente escolar e se estendem a outros campos da vida.
Crianças mais autoconfiantes se tornam adultos mais preparadas para os desafios da vida e os alunos autoconfiantes sentem-se mais livres no seu processo de aprendizagem, pois não se intimidam diante de uma nota ruim ou qualquer outra dificuldade que apareça. Leia Mais

Dia das crianças: resgate a sua criança interior

Qual foi a última vez que você pisou na grama, correu na chuva, pulou em cima da cama ou se permitiu fazer coisas que remetem à sua infância?

“A gente olha o mundo só uma vez, durante a infância. O resto é lembrança”, escreveu em letras poéticas a norte americana Louise Glück, vencedora do Nobel da Literatura em 2020. Essa frase me fez refletir sobre o quanto nos tornamos sérios, ás vezes chatos e sem graça depois de adultos. Pensando nisso, resolvi abordar este tema no dia das crianças.

Muitas vezes as pessoas associam seus momentos de felicidade ao passado: “quando eu era feliz e não sabia”, “queria voltar a ser criança para ser feliz de novo”. As responsabilidades do dia a dia, o stress e os problemas da vida adulta muitas vezes nos fazem deixar de lado e até esquecer de coisas que nos deixam alegres, que nos proporcionam prazer, que nos fazem rir à toa, e que frequentemente estão associadas à nossa infância.

As crianças têm uma grande virtude que abandonam à medida que vão se tornando adultos como a curiosidade, a capacidade de se deslumbrar com cada descoberta e de observar cada acontecimento como se fosse único, além de enxergar beleza nas pequenas coisas.

“O homem seria metafisicamente grande se a criança fosse seu mestre”, já dizia o filósofo Sören Kierkegaard.

Hoje, no Dia das Crianças queremos propor a você conectar-se com essa criança interior e resgatar a  meninice, a brincadeira, o jeito moleque. Crescer é uma tarefa difícil, o peso da vida adulta chega de forma muito dura para algumas pessoas, mas ainda assim não podemos deixar que a nossa criança interior adormeça e que nos tornemos adultos insatisfeitos ou amargurados. É preciso exercitar a espontaneidade, o desapego, o olhar curioso, sem medo de experimentar algo novo. Para isso, você deve se perguntar: “o que eu gostava de fazer?”, “em que eu era bom?’? Esses exercícios podem te ajudar a se conectar com a infância e com essa criança. E então, a proposta é começar hoje mesmo, agora! Leia Mais

Dicas para desenvolver inteligência emocional

Primeiramente, considero importante conceituar inteligência emocional. A inteligência emocional é um conceito formulado pelo psicólogo Daniel Goleman. Ele define a inteligência emocional como a “capacidade de identificar os nossos sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as nossas emoções internamente e os relacionamentos.”

A vida se move rapidamente e o mundo está cada vez mais volátil, incerto, complexo, ambíguo e desafiador. Vivemos estressados, ansiosos, em meio a ambientes extremamente competitivos e com estímulos por todos os lados. Isso tudo afeta nossa saúde física, emocional, os relacionamentos, o desempenho e a produtividade no trabalho, a nossa motivação e bem estar.

Segundo Goleman, a habilidade da inteligência emocional pode determinar o sucesso ou o fracasso de uma pessoa, isso acontece porque  nossa vida é feita de situações que exigem que nos relacionemos com outras pessoas demonstrando gentileza, empatia, compreensão.

Então, para que você possa desenvolver inteligência emocional, separamos oito dicas a seguir. Leia Mais

Voltando ao trabalho sem stress

Algumas pessoas estão retornando ao trabalho nos escritórios, in loco nas empresas de forma gradual.

Para que este retorno seja benéfico e produtivo para funcionários e empresas é muito importante criar um diálogo positivo e ações para minimizar o stress e administrar as emoções, advindos da pandemia e do isolamento social. E dessa forma garantir a saúde de todos e um recomeço saudável para a empresa.

Sabe por quê?

O stress gera custos, reduz o desempenho e a produtividade, é a principal causa do absenteísmo, reduz a criatividade e motivação dos funcionários e impacta no clima organizacional. Além disso, pode gerar problemas mais graves para o indivíduo, impactando a sua saúde física e mental como, por exemplo, a Síndrome de Burnout. 

O stress é um esforço de adaptação do nosso organismo a situações negativas ou positivas. Todo indivíduo precisa de um pouco de stress para viver, para a própria sobrevivência. Eustress é conhecido como o stress positivo, que estimula o indivíduo a agir, a fazer o melhor,  é motivador e desafiador. Ele também surge a partir de situações positivas e que geram mudanças significativas, por exemplo um  casamento, uma mudança na carreira, a construção de uma casa nova, dentre outras. Porém, o distress é negativo, persistente e engloba três fases: alerta, resistência e exaustão.

Dentre os fatores estressores, podemos ressaltar as áreas do relacionamento (familiar, afetivos, colegas de trabalho e chefes) , organizacionais, socioculturais e pessoais. Leia Mais

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.