marca

1
Autocobrança e liderança exigente
2
Ressignificação de traumas
3
Saúde mental no trabalho
4
Por que eu faço o que faço! E você?
5
Aqui pode estar a resposta que você precisa
6
20 de Julho: Dia do Amigo
7
Dúvida? Indecisão? Saiba como fazer uma escolha assertiva
8
Definhamento: que mal-estar é esse?
9
Hábitos para um cérebro saudável
10
Vídeo: A complicada arte de ver I Contando histórias

Autocobrança e liderança exigente

Ser muito exigente consigo mesmo, em muitos casos, não é uma atitude positiva para a sua saúde emocional e mental. Ao invés de você estar se auto aperfeiçoando, na verdade, a autocobrança excessiva é uma forma de se depreciar, que pode trazer consequências negativas para todas as áreas da sua vida, desde relacionamentos, carreira e até saúde física.

Se você é uma pessoa com autocrítica em excesso, está propensa a se sentir mais ansiosa e deprimida. Afinal, nunca está satisfeita com suas conquistas e tem um padrão muito alto, acredita que “não é boa o suficiente” ou que “nada está tão bom quanto poderia ficar”.

Além disso, está sempre diminuindo a sua autoestima e se comparado. Porém, quando você se compara com outras pessoas, as coisas pioram ainda mais, pois a “régua” se eleva e ficam cada vez mais inalcançáveis os objetivos. Então, isso gera um baita sentimento de frustração, não é mesmo? 😞

Se você se identificou com esse texto, chegou o momento de virar o jogo e começar a se valorizar e se amar ou buscar auxílio profissional. Todos nós somos imperfeitos e merecemos ser feliz. 🤗

👉 Para te ajudar nessa caminhada, separamos algumas dicas para você:

  • Trabalhe a auto aceitação para abraçar quem você realmente é;
  • Reconheça e respeite os seus limites;
  • Faça um planejamento e divida os objetivos em pequenas metas, reconheça e comemore a conquista de cada uma dessas metas;
  • Invista em terapia e conte com a ajuda de um profissional para aumentar a sua autoconfiança e enfrentar os desafios com mais leveza;
  • Trate a si mesmo como um amigo. Somos todos imperfeitos, por isso seja gentil e ame-se, em primeiro lugar.
Muitas vezes somos mais exigentes e críticos com nós mesmos do que com os outros. Por isso é importante reconhecer os sentimentos, pensar de forma diferente em relação a si, comemorar as pequenas conquistas, se valorizar e ser gentil consigo mesmo, ter autocompaixão.  A autocompaixão é aceitar-se, amar-se, respeitar-se, aliviar o sofrimento e a dor tratando-se como um amigo e não como um inimigo. No lugar da auto crítica, da auto exigência e depreciação , que tal exercitar o amor próprio e o acolhimento?
Uma pergunta para você refletir do impacto disso no âmbito organizacional. Se você é  um líder exigente com a sua equipe : será que é positivo ou negativo?

Leia Mais

Ressignificação de traumas

O que você precisa ressignificar na sua vida?

Ressignificar é dar um novo significado a um determinado acontecimento, é atribuir um outro sentido a uma experiência, enxergar as coisas sob outra perspectiva e levar a vida de maneira diferente.

Ao ressignificar, torna-se possível transformar, de forma positiva,  as emoções e comportamentos envolvidos numa determinada experiência negativa ou traumática. E dessa forma levar a vida de forma mais leve.

Ressignificar é uma palavra forte, pois envolve uma mudança significativa de vida quando aplicada, sobretudo, na resolução de traumas, crenças arraigadas e sentimentos negativos. Muitas vezes questões que se repetem durante muitos anos precisam ser ressignificados para você seguir em frente.  Até porque desafios e dificuldades na vida todo mundo tem.

Trauma

O trauma acontece quando vivenciamos uma situação e não temos recursos para lidar com ela naquele momento. Assim, criamos uma interpretação daquela experiência que desencadeia uma forte emoção e um determinado comportamento. Quando acontecem repetidas vezes situações similares, sentimos a mesma emoção e isso nos remete àquela situação e a reforça.

Qualquer acontecimento pode gerar um trauma ou uma fobia, mesmo que não pareça algo tão relevante quando visto de fora, pelos outros ou por você sob outra perspectiva. Porém, esse sentimento e sensação experimentada ficam arraigados e, muitas vezes, te impedindo de alcançar o que deseja.

Passar por um trauma pode prejudicar, muitas vezes, a sua qualidade de vida e o seu bem-estar. Além dos traumas mais graves como abusos físicos e psicológicos, existem outras experiências negativas que parecem inofensivas, mas que acompanham e limitam a pessoa ao longo da vida.

Leia Mais

Saúde mental no trabalho

Diante da pandemia, da crise financeira, do isolamento social e do home office, vemos muitas empresas e funcionários debatendo sobre criar um ambiente mais acolhedor e dinâmico, na intenção de diminuir o estresse e melhorar a saúde mental.

A pesquisa “Os Impactos da Saúde Mental no Trabalho do Colaborador Brasileiro” relatou que a epidemia de transtornos psíquicos não interfere apenas na saúde do trabalhador, também há queda de produtividade (36,6%), falta de engajamento (23,3%) e crescimento da rotatividade (19,6%). Dessa maneira, a empresa tem seus resultados diretamente comprometidos.

Por isso, é preciso criar um ambiente em que as pessoas se sintam confortáveis para se expor diante das outras sem medo de serem julgadas ou punidas. E oferecer incentivos como palestras, treinamentos e atividades voltadas para a saúde mental e bem-estar do colaborador.

O que sua empresa pode fazer para melhorar a saúde mental dos colaboradores:

  • Estabeleça prazos e metas alcançáveis: se você sobrecarregar os colaboradores da sua equipe, eles podem se desmotivar, comprometer a produtividade e os resultados.
  • Estimule o feedback: criar uma cultura de avaliação de desempenho seguido de feedback na empresa é essencial para abrir diálogos, abordar assuntos importantes, alinhar as expectativas e melhorar a performance.
  • Respeito ao horário e gestão do tempo: mesmo em home office, o colaborador tem horário para iniciar e finalizar o expediente e precisa fazer pausas e horário de almoço. Por isso, ele precisa saber gerenciar bem o tempo.
  • Invista em assistência psicológica: produza e distribua conteúdos que promovam saúde mental e ações que estimulem o bem-estar no trabalho do colaborador como palestras, treinamentos, terapia e outras atividades.

    Leia Mais

Por que eu faço o que faço! E você?

Outro dia, num bate-papo com uma amiga ela me fez essa pergunta e eu respondi.

Faço porque é o meu propósito, meu Ikigai! Usar as minhas forças, talentos e conhecimentos para inspirar ou auxiliar as pessoas interessadas a alcançarem os seus objetivos e sonhos e ver a felicidade dessas pessoas  é extremamente motivador. Além disso, ser remunerada pelo meu trabalho e dedicação me possibilita realizar meus objetivos, viver mais leve e feliz. Isso  então é fantástico!

Ela não ficou muito satisfeita com a resposta….. E percebo que grande parte das pessoas têm dificuldade em encontrar o seu propósito e vivem insatisfeitas ou desmotivadas no trabalho; esperando a hora de “bater o ponto”, o fim de semana, as férias ou algo de extraordinário acontecer, ou seja, não sente prazer no seu dia-a-dia. Sendo que, na verdade, a felicidade está na jornada em si e em viver segundo o seu propósito.

Quero bater um papo com você agora: quero que você reflita sobre o seu propósito, por mais clichê que pareça. Comece pensando no legado que deseja deixar, ou seja, depois que você partir dessa vida –  e você vai partir!, o que gostaria que as pessoas falassem de você? Pense e escreva.

Mas afinal, o que é e por que é tão importante encontrar o seu propósito ? Leia Mais

Aqui pode estar a resposta que você precisa

Já parou para pensar na famosa frase: “Somos o que atraímos”? Já recebeu algum sinal que fez suas dúvidas desaparecerem ou uma oportunidade que surgiu do nada? Muitos alegam receber “um chamado” para realizar algo. Nem tudo que acontece em nossas vidas são coincidências ou ocorrem por acaso. Quando você está aberto e disposto, as mensagens do universo apresentam-se para você. E aí depende de você tomar uma decisão e uma ação para concretizá-las.

Ao observar situações que pareciam coincidências, o psiquiatra suíço Carl Gustav Jung percebeu que se tratava de algo além do acaso e batizou o fenômeno de sincronicidade.

Esse fenômeno envolve sinais de inúmeras maneiras diferentes: através do pensamento repentino, de uma imagem apontando um novo caminho, de um sonho esclarecedor, de uma conversa que traz respostas procuradas há algum tempo, de uma mensagem lida em um livro ou assistida em um filme que mexe com convicções que precisavam ser trabalhadas, de um encontro com alguém ou de acontecimentos inesperados que provocam uma grande mudança na vida. Esses são apenas alguns exemplos de como podem acontecer. Leia Mais

20 de Julho: Dia do Amigo

Hoje dia 20 de julho é comemorado o Dia do Amigo!

Nossos amigos estão entre as pessoas mais importantes da nossa existência e essas relações falam muito sobre a nossa qualidade de vida.

Ao voltar na memória e relembrar as experiências mais marcantes, você pode perceber que, na maioria delas, estava na companhia de pessoas que poderia chamar de amigo. Amigos são irmãos que escolhemos, são presentes de Deus!

A amizade é vista como uma das principais fontes de felicidade e bem-estar, você sabia? Ela proporciona um suporte tanto social quanto emocional por causa do compartilhamento de experiências, interesses, sentimentos e emoções.

Os benefícios da amizade já foram comprovados por diversos estudos e pesquisas. E por isso, a amizade é considerada uma das formas de aprimoramento do ser humano e permite que a pessoa tenha mais saúde e longevidade.

Conheça sete benefícios da amizade e cultive-a  em sua vida. Vale a pena! Leia Mais

Dúvida? Indecisão? Saiba como fazer uma escolha assertiva

As dúvidas, indecisões e  incertezas podem se tornar um inimigo silencioso que, quando menos espera, te impede de alcançar os objetivos tão desejados. Mesmo as pessoas mais seguras de si podem ter momentos de muita dúvida e travá-las em muitos aspectos da vida.

Pessoas indecisas têm dificuldades de escolher, ainda mais no mundo atual com o excesso de ofertas e informações, onde o medo de errar na escolha ou de ficar de fora impacta bastante na tomada de decisão.

Cada perfil de pessoa tem uma forma de fazer escolhas – seja amorosa, profissional ou comercial. Muitos vivem nesse constante conflito e cercado de dúvidas. Muitas vezes, o fato de escolher significa deixar de lado as outras opções.

Mesmo que o nosso destino seja imprevisível é preciso garantir que a dúvida não nos impeça de agir para mudarmos as situações que temos controle. Não paralise pensando sobre o que os outros estão fazendo ou como eles irão realizar as coisas, pois cada um é cada um. Conheça e confie em si mesmo e garanta que você esteja fazendo o possível naquele momento, mesmo que as escolhas não sejam as melhores. Assuma a responsabilidade e aprenda com elas. Leia Mais

Definhamento: que mal-estar é esse?

A pandemia trouxe uma série de mudanças na dinâmica social e de convivência. Com o isolamento social e muitos trabalhando em home office, ficou evidente a ausência de bem-estar e falta de sociabilidade. Diante disso, muitas pessoas têm reportado que a sensação tem sido um pouco diferente de ansiedade ou cansaço, mas de definhamento.

O que vem a ser esse sentimento?

Podemos explicar que, ao pé da letra, definhar significa perder as forças, enfraquecer, abater-se, extenuar-se, debilitar-se.

A pandemia ocasionou diversas perdas, de todos os tipos: normalidade, hábitos, encontros sociais, momentos de lazer e, ao mesmo tempo, desesperança, incerteza, cansaço com o excesso de atividades desgastantes, o luto pelo falecimento de tantas pessoas, a falta de perspectiva de melhoria, o comportamento inadequado de algumas pessoas, como os destemidos sem máscara e negacionistas.  Juntamente com ausência de oportunidades de momentos de lazer, eventos sociais, do contato com a natureza, dos relacionamentos afetivos e no ambiente de trabalho e do toque e abraço fraternal, isso tudo, durante um período muito longo, causa a sensação de enfraquecimento e desse tal definhamento. Leia Mais

Hábitos para um cérebro saudável

Assim como cuidar do corpo, cuidar da mente e do cérebro é fundamental. Ele é o centro de controle do corpo, responsável por monitorar o movimento, o pensamento, a memória, as emoções, os sentidos e a fala, por isso é considerado um dos órgãos mais importantes.

Um cérebro saudável é determinado por fatores biológicos e fisiológicos – genes, hormônios, sistema imunológico, nutrição, exercício e outras opções de estilo de vida. Fatores sociais, psicológicos e ambientais, incluindo relacionamentos, estresse, emoções, mentalidade e circunstâncias externas também contribuem para a saúde do nosso cérebro.

Ele também envelhece e perde a sua capacidade com o tempo, porém graças à neuroplasticidade é possível desenvolvê-lo constantemente. Então, não importa a sua idade, existem muitas coisas que você pode fazer para melhorar seu raciocínio, memória e aprendizado.

O cérebro é a peça mais fantástica do nosso corpo humano. Desde muito tempo- mais de 10 anos tenho fascínio por essa máquina e estudo o cérebro para entender o impacto que ele tem em todos os sentidos em nossas vidas: emoções, pensamentos, atitudes, sensações, experiências – tudo é processado e armazenado ali dentro.

Isso nos faz pensar o tanto que temos que cuidar da parte mais sofisticada do nosso corpo. Além disso, o mistério e a complexidade em torno dele gera uma curiosidade e uma vontade de entender cada vez mais.

E foi por meio de um acidente vascular cerebral , onde tive lesões do lado esquerdo, na área de linguagem – tive déficit de linguagem oral e escrita, atenção, memória, raciocínio lógico e  performance executiva, ou seja, habilidades cognitivas. O tratamento foi reabilitação e eu confesso que desenvolvi mais habilidades que eu tinha anteriormente devido à neuroplasticidade, ou seja, a capacidade de adaptação e reorganização dos circuitos neurais, que ocorrem durante toda a nossa vida.

Então, tive a oportunidade de conhecer ainda mais o quão maravilhoso é esse órgão do nosso corpo. Não é à toa que a minha marca – Meus Miolos – e o mascote tem a presença de quem? Do cérebro!

A dica da vez é: cuide bem desse órgão fantástico!

Para manter o cérebro saudável e evitar doenças relacionadas à saúde mental, siga os oito hábitos para colocar na sua lista de prioridades:

– Cuide do seu corpo e exercite regularmente;

– Tenha um sono de qualidade: durma em média oito horas por noite e evite estímulos eletrônicos. Mantenha-os desligados;

– Exercite o seu cérebro: faça algo habitual de forma diferente, pratique ginástica cerebral;

– Faça pausas para descanso ao longo do dia;

– Alimente-se bem e de forma saudável, diminua o consumo de açúcar;

– Busque sempre aprender algo novo;

– Evite vícios como cigarro, álcool e outras drogas;

– Cultive relacionamentos positivos.

Anotou? Então pratique, mantenha o cérebro  saudável e comente aqui!

Vídeo: A complicada arte de ver I Contando histórias

Você guarda os seus olhos na caixa de brinquedos ou de ferramentas?

Esse é mais um vídeo da série Contando histórias, do texto de Rubem Alves: “A complicada arte de ver”. Desde que li esse texto pela primeira vez fiquei encantada e resolvi gravar esse vídeo. Se gostar, compartilhe!

Assista o vídeo, reflita e responda aqui nos comentários, quero saber!

Clique aqui para assistir o vídeo

 

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.