Tag - dicas para aliviar o stress

1
Dicas para combater o estresse
2
23 de setembro: Dia do Combate ao Stress
3
5 dicas para potencializar o seu cérebro

Dicas para combater o estresse

O Dia Mundial do Combate ao Estresse é importante para alertar as pessoas sobre a importância do autoconhecimento e do autocuidado.  Afinal, a partir do autoconhecimento, é possível entender os fatores causadores do estresse e, a partir do conhecimento de técnicas e estratégias, aprender a lidar com as emoções e com o estresse de maneira mais adequada.

O autocuidado é uma forma de se acolher, é buscar maneiras e praticar atividades que possibilitem combater esse mal que atinge 70% da população brasileira, de acordo a ISMA-BR (Associação Internacional de Gerenciamento de Estresse Brasil).

Com quase 2 anos de pandemia do Coronavírus no Brasil, o cenário da saúde mental ainda é desafiador para grande parte da população global. Por isso, o Dia Mundial de Combate ao Estresse, comemorado em 23 de setembro, nunca foi tão relevante!

Esse foi o tema do artigo “Gestão do estresse em quatro etapas”, do livro recente Somos parte de uma grande história, do qual sou coautora.

Por isso, separamos algumas dicas para você :

  • Cuide do seu corpo: inclua na sua rotina exercícios físicos, alimentação saudável, água na quantidade adequada, pausas, movimento e relaxamento.
  • Cuide da sua mente: inclua na sua rotina práticas de respiração consciente, yoga, meditação e ginástica cerebral.
  • Cuide das suas emoções: estimule emoções positivas, dê risadas, cultive bons relacionamentos,  pratique a gratidão, valorize as pequenas coisas, aprecie o belo, contemple e conecte-se com a natureza.
  • Pratique o autocuidado: inclua na sua rotina ações de autocuidado que não necessariamente estão relacionados ao cultivo da beleza. Então, se acolha e seja gentil consigo, aceite as suas imperfeições, invista em autoconhecimento, desenvolva habilidades e permita-se viver leve e feliz.
  • Organize o seu tempo: inclua na sua rotina o planejamento das suas atividades diárias, estabelecendo metas tanto pessoais como profissionais. Depois, faça os ajustes necessários.
  • Celebre: inclua na sua rotina a comemoração e a celebração das pequenas metas alcançadas.

Gostou das dicas? Que tal começar agora esse movimento para combater o stress?

23 de setembro: Dia do Combate ao Stress

No dia 23 de setembro foi instituída como data de combate ao stress, sobretudo para conscientizar as pessoas e organizações das consequências e dos sintomas do stress vivenciado de forma negativa. E ainda enfatizar a importância da prevenção para que o stress não se transforme numa síndrome de burnout ou não seja o fator causador de doenças e/ou desastres que podem impactar pessoas e organizações.

Segundo pesquisa da ISMA-BR ( International Stress Management Association do Brasil) 2019, 72% dos brasileiros que estão no mercado de trabalho sofrem alguma sequela ocasionada pelo estresse. Desse total, 32% sofreriam de Burnout. E 92% das pessoas com a síndrome continuariam trabalhando.

Eu, Isabela Capelão, fui uma das vítimas das consequências do stress.

Na pesquisa Stress Brasil, realizada pelo Instituto de Psicologia e Controle do Stress (IPCS), apontou que os brasileiros consideram como maior fonte de estresse os relacionamentos (familiares, amorosos, com colegas e chefes); seguido de dificuldades financeiras e de sobrecarga de trabalho, em segundo e terceiro lugar respectivamente.

Por isso é importante encontrarmos estratégias para lidar com o estresse negativo, para que esses fatores não impactem nossa saúde física, mental, nos relacionamentos e nossos resultados profissionais.

Hoje, especialmente, trouxemos nove dicas para ajudá-lo no combate ao stress: Leia Mais

5 dicas para potencializar o seu cérebro

A ginástica cerebral proporciona diversos benefícios, como o estímulo e o desenvolvimento de habilidades, tirando o cérebro da zona de conforto e o mantendo em constante aprendizado. Isso ajuda a prevenir doenças neurodegenerativas e alivia o stress.

A ginástica para o cérebro tem base na neurociência e estudos da neuroplasticidade cerebral, que é a capacidade que nosso cérebro tem de se modificar conforme os estímulos recebidos para se adaptar às exigências do ambiente.

Aquela velha crença de que nascemos com um determinado número de neurônios e que ao longo da vida vamos perdendo, é  falsa. É correto afirmar que há  um declínio no número de neurônios, porém o nosso cérebro continua sendo moldável, ou seja, continua sofrendo mudanças ao longo da vida e é possível desenvolver mais neurônios, o que tem relação com as necessidades exigidas pelo ambiente e nossos recursos para enfrentá-las.

E como fazer isso? Leia Mais

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.