Você é uma pessoa resiliente?

Essa palavra é muito utilizada nos dias de hoje, seja no ambiente de trabalho, familiar, e em relacionamentos pessoais, é citada como uma das competências de pessoas de sucesso. Mas afinal, o que é resiliência e por que ser alguém resiliente é tão positivo, pode nos levar ao sucesso e nos ajudar a enfrentar os obstáculos da vida de forma mais amena?

Voltando à origem da palavra, resiliência vêm do latim e significa “ricochetear, pular de volta”, resultado da soma do prefixo RE-, “para trás”, e SALIRE, “pular”. Dito isso, pode parecer um sinônimo de retrocesso, que significa um deslocamento físico para trás, um retorno ao local de onde saiu, mas não é bem assim. Alguns conceitos sobre resiliência já estão ultrapassados ou desatualizados, pois é um tema pesquisado há mais de 60 anos, e com muitas referências e teses. A partir dos anos 90, uma nova geração de estudiosos mostram uma outra concepção para superar um momento de estresse e adversidade.

Resiliência é um conceito emprestado da Física, que representa a propriedade dos corpos que voltam à sua forma original, depois de terem sofrido uma deformação ou choque. Aplicado às pessoas, resiliência representa a capacidade do indivíduo de se adaptar, superar pressões, obstáculos e problemas, e reagir positivamente a eles, sem entrar em conflito psicológico ou emocional. Em síntese, é a capacidade de se recuperar diante das adversidades, adaptar-se às situações, aprendendo com elas e promovendo mudanças de comportamento.

Pesquisas indicam que nossos comportamentos seguem padrões, e quase sempre repetimos esses padrões, principalmente quando estamos enfrentando situações de stress e conflitos. Isso ocorre porque nesse tipo de situação as pessoas tendem a agir de duas maneiras: com raiva e agressividade, impulsivamente ou com tristeza e passividade, desanimada para reagir adequadamente. A questão se torna ainda mais complexa quando esse tipo de emoção e comportamento se torna um padrão de resposta na vida do indivíduo.

Sabe por que? São esses dois tipos de comportamento que impedem a pessoa de ter um olhar resiliente diante da situação. E assim, maior a dificuldade de lidar com o estresse ou sair de um conflito de maneira adequada e equilibrada. Diariamente nossa habilidade de adaptação é testada e consequentemente, nossa capacidade de ser resiliente. Como já dizia Charles Darwin: “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”.  Quanto mais enfrentamos os desafios e desenvolvemos recursos de enfrentamentos, melhor os superamos.

Então, quais são as estratégias que podem ser utilizadas para desenvolver a resiliência?

Em primeiro lugar, ter consciência do seu grau de resiliência e quais as suas atitudes resilientes, os fatores estressores, ou seja, identificar as situações que geram estresse, ansiedade e frustração, os padrões de comportamento, a forma de expressá-los e as emoções envolvidas nos momentos de adversidade. É perceptível a importância da auto observação e do autoconhecimento nesse processo.

Então, precisamos  desenvolver o controle de duas emoções: a raiva e a tristeza, nos momentos de estresse. Isso porque, quando enfrentamos desafios temos a tendência a agir de forma descontrolada, reagindo emocionalmente ao problema. Desenvolver uma mentalidade resiliente é estar atento aos nossos padrões de comportamento. E quando desenvolvemos a habilidade da resiliência, nos tornamos pessoas mais criativas e intuitivas, pois aprendemos a analisar problemas e dificuldades sob ângulos otimistas, descobrimos soluções diferentes para os problemas e aprendemos a agir utilizando os recursos adequados de enfrentamento.

Desenvolver a resiliência e ser resiliente  é principalmente ter um olhar estratégico sobre as origens do estresse e entender a forma que você está reagindo a essa situação. Uma boa maneira de identificar as questões pessoais é refletir e responder às seguintes questões:

De 0 a 10, quanto me considero uma pessoa resiliente? O que posso fazer para chegar a 10 de resiliência? Quais são as emoções e comportamentos quando me deparo com problemas ou conflitos? Como eu poderia fazer diferente? Quais recursos eu preciso desenvolver ou aprender para lidar melhor com as adversidades?

O conceito de resiliência está se consolidando entre profissionais da área de recursos humanos de maneira a  implementar o desenvolvimento dessa competência no ambiente de trabalho, sobretudo por ser um local gerador de estresse. Diante das dificuldades que encontramos nas diferentes atividades laborais é necessário buscar estratégias para fortalecer emocionalmente as equipes e prepará-las para enfrentar os desafios e adversidades.

Essa capacidade de ser resiliente pode transformar a vida de um indivíduo, pois quem é resiliente procura constantemente desenvolver a criatividade e expandir a busca de novos horizontes, seja no campo pessoal, profissional e outros da vida,  se concentrando em viver ativamente o presente, com foco no futuro promissor, com energia e força para superação de crises.

Os comportamentos relacionados à superação e adaptabilidade de uma pessoa podem sofrer mudanças quando são reestruturados e treinados. Assim como uma bailarina, se adquire tal habilidade com bastante treino e alongamentos. Ninguém nasce resiliente ou flexível, isso se desenvolve por meio de estratégias apropriadas, desenvolvimentos de recursos e treino. Fazendo da resiliência um exercício, podemos fortalecer a nossa saúde mental, maior é a nossa capacidade de enfrentar os desafios e as adversidades de maneira equilibrada e vivemos de maneira mais leve e feliz.

Quer saber mais? A Meus Miolos pode ajudar você, seu time ou empresa a evoluírem,  a desenvolverem essa competência com estratégias personalizadas, a conquistarem resultados positivos e transformarem crises em oportunidades. Cadastre-se no blog e no canal do Youtube da Isabela Capelão e companhe nossos conteúdos ou agendando um horário pelo (31)3586.0188 / 9.98580188.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.