Liberte-se do sentimento de culpa

O sentimento de culpa é aquele que surge quando nos sentimos responsáveis por algo ruim que tenha acontecido ou algum erro que tenha gerado arrependimentos. Ele pode destruir aos poucos quem o sente, pois a pessoa tem a tendência a se punir, a ser dura demais consigo mesmo, a ficar remoendo acontecimentos do passado.

A culpa tem diversas causas. É importante analisar se a culpa sentida é desencadeada a partir de atitudes que foram de sua responsabilidade ou de situações que aconteceriam de qualquer maneira e não estavam ao seu alcance.

Muitas vezes, originada na infância, a criança pode ter se sentido culpada por algo que ela acredita que era responsável e não fez nada para impedir ou então ter sido considerada culpada por pais muito rígidos por pequenos erros que tenha cometido.  E, ao longo da vida, esse sentimento pode ser reforçado por situações similares experimentadas.

O autoconhecimento é peça fundamental para que você entenda  de onde surgiu esse sentimento e também para saber como modificá-lo.

Se o erro já foi cometido, não tem como voltar atrás – perdoe-se! O que resta é aprender com esse erro e saber o que fazer da próxima vez para que os resultados sejam diferentes e melhores. Permita-se cometer erros como qualquer ser humano e liberte-se do peso da culpa.

Remoer o passado não é nada bom, ficar imaginando como seria se tivesse acontecido de outro jeito, se você tivesse feito algo diferente e como estaria hoje. Ficar somente no “e se”… “e se”….  o tempo está passando, você está preso ao passado e deixando de aproveitar novas oportunidades e de viver o momento presente.

Então, a minha proposta é questionar-se e responder de forma sincera:

  • Se você tivesse que aprender algo com isso, o que seria?
  • Como pode agir da próxima vez para que os resultados sejam mais positivos do que foram no passado?
  • Identifique os seus pensamentos que precedem a culpa, quando eles surgem em sua mente: o que os estimula, qual o gatilho gerador? Que ganhos indiretos eles podem proporcionar a você? – reflita sobre isso

Escreva, imagine como você deseja a sua vida  a partir do momento que você não está mais preso ao sentimento de culpa.  Você não está condenado! Escreva sobre o seu EU do futuro e imagine-se vivendo essa experiência livre das amarras do passado, da auto cobrança excessiva, da mágoa, da punição e da necessidade de provar que você é inocente.

Buscar e apontar culpados não resolve nada. É importante assumir responsabilidade e não apenas culpar alguém.   Afinal, quem tem o direito de apontar o dedo e condenar o outro como culpado fora do julgamento? Isso porque ninguém merece esse rótulo, a não ser que realmente tenha cometido um crime passível de julgamento.

Preste atenção se você está em algum dos lados: condenando excessivamente o outro ou se autodepreciando e se punindo demasiadamente. Ambos são disfuncionais e podem te impedir de conquistar os seus objetivos e de viver de forma leve e feliz.

Ás vezes, o simples fato de se abrir , de desabafar, de chorar e se sentir acolhido  por alguém já é o suficiente. Em algumas situações, a escrita terapêutica ajuda muito e funciona quando você escreve uma carta  perdoando alguém, pedindo perdão ou simplesmente escrevendo tudo o que você gostaria de dizer e está “entalado na garganta”, para aliviar esse sentimento, sem a necessidade dessa carta ser entregue. Isso é libertador!

Em outros casos, para tratar esse sentimento mais a fundo é essencial fazer terapia para entender as causas e, por meio de ferramentas, aprender a lidar com essa questão e ressignificá-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.