10 atitudes que contaminam o ambiente de trabalho

Sabe-se que os profissionais são contratados pelas suas aptidões técnicas e demitidos pelos seus comportamentos. Diante disso, é importante saber que existem algumas atitudes que contaminam o ambiente de trabalho e devem ser evitadas se a pessoa não quiser ser demitida, ou se quiser ser promovida e crescer profissionalmente.  Esses comportamentos não colaboram para o espírito de equipe, pelo contrário, desmotiva e estressa quem está por perto, compromete a produtividade da equipe e os resultados da empresa.

E sabe o que é mais grave? Podem justificar a sua demissão! Antes de apontar para um colega, leia a lista a seguir e veja se você se inclui nela de alguma maneira. Em caso negativo, você está de parabéns, continue em desenvolvimento. Em caso positivo, saiba que existem maneiras de mudar essas atitudes, de ser mais produtivo e realizador para a sua equipe. Isso possibilita melhores oportunidades, mais satisfação e menos estresse.

  • VERDADE ABSOLUTA

Pessoas que acham que sabem tudo, os donos da verdade, que estão sempre certos e têm a última palavra numa discussão, são difíceis de lidar. Pessoas com essa atitude transformam o ambiente de trabalho em uma verdadeira guerra de ego.  Quem está disposto a ouvir e aprender, cria um campo de receptividade e empatia.

  • BAJULAÇÃO

Excesso de elogios não pega bem, aliás, pega muito mal.   É muito comum ocorrer entre um funcionário e o seu superior, ou até mesmo entre colegas de trabalho de mesmo nível hierárquico. Ficar com a fama de “puxa-saco” não é bom, pois não inspira confiança.  Respeito e admiração se conquistam pela ética e pela competência.

  • INCOERÊNCIA NAS ATITUDES

“Faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. Suas ações, sendo boas ou más, mostram muito mais sobre quem você é, do que as suas palavras. No ambiente corporativo – e também em nosso dia a dia – é muito comum nos depararmos com pessoas que possuem um “discurso muito bonito”, mas não fazem nada daquilo que pregam.  Inventar as conquistas e expor resultados falsos não geram credibilidade.  Essas ações não lhe tornam um verdadeiro líder, muito menos lhe colocam em alta reputação na empresa ou na família.

  • SÓ RECLAMAÇÃO

Ninguém gosta de trabalhar com alguém que só reclama, que está insatisfeito com tudo ou constantemente mal humorado.  Além disso, influencia na produtividade da equipe, nos relacionamentos e no próprio desempenho. Sabemos que em alguns dias podemos não estar bem, com problemas ou questões complexas, porém isso não é justificativa para agir negativamente com frequência. Se você possui esse tipo de atitude, pare e reflita para entender o que exatamente está acontecendo.

  • FOFOCAS E INTRIGAS

O fofoqueiro normalmente é alguém que se mostra mais interessado na vida alheia e na disseminação de informações na rádio peão, do que focado no trabalho. Pessoas assim não inspiram confiança e soam como falsas. Fuja disso!  Se tem problema com alguém ou se determinada situação lhe incomoda, procure resolver isso de forma amena com a própria pessoa ou busque ajuda do seu superior.

  • COMPORTAMENTO CENTRALIZADOR

Assumir a responsabilidade de muitas tarefas que você não conseguirá cumprir nos prazos estipulados é uma atitude muito prejudicial para todos. É preciso avaliar se você possui um comportamento centralizador, se tem dificuldades em delegar o trabalho para outros membros da equipe, ou se o seu excesso de atividades está comprometendo os seus resultados. Trabalhe em equipe, confie nos seus colegas e aprenda a delegar as tarefas ou dizer não àquelas atividades ou prazos impossíveis, a contratar alguém ou contar com a ajuda de outros profissionais.

  • PROCRASTINAÇÃO

Falta de interesse, comprometimento com o trabalho, proatividade, desculpas em demasia são sinais muito sérios – e comuns – de procrastinação.  Deixar para depois algo que é de sua responsabilidade compromete uma cadeia de atribuições e tarefas. Assim como inventar desculpas para justificar os próprios erros ou, até mesmo, responsabilizar outros colegas ou setores. Guarde essa lição: ao concentrar sua energia em fazer o seu trabalho da melhor maneira possível, você evita estresses futuros, otimiza o seu tempo, gera empatia e supera os desafios.

  • PREGUIÇA

O profissional preguiçoso se mune de uma série de argumentos para provar que tudo é difícil e complicado de fazer. Falta proatividade, vontade, comprometimento com o serviço e com as demandas de trabalho. Não tomam atitudes e, pior, quando delegadas, demoram a fazer o que precisa ser feito. O preguiçoso é o falso ocupado e, para isso, se veste de reclamações e desculpas. Normalmente ele não se importa com os outros e que eles estejam atribulados de atividades, não possui senso de equipe e de organização. Por serem assim, perdem a confiança e admiração dos demais colegas e oportunidades de crescimento dentro da empresa.

  • REDES SOCIAIS

Facebook, Instagram, Whatsapp, Tik Tok e tantas outras redes sociais. Estamos conectados a tudo e a todos.  Para muitas pessoas, se desligar do mundo digital é quase impossível e pode se tornar um perigoso vício.  Conversar com pessoas queridas, postar uma foto, curtir e ser curtido é algo que faz parte da nossa vida digital, porém para tudo existe um momento certo. Muitas empresas bloqueiam as redes sociais nos desktops organizacionais. O excesso normalmente é prejudicial. Assim, se estiver no ambiente de trabalho, desative as notificações das redes sociais, silencie grupos do whatsapp, desligue o wi-fi e rede de dados, aproveite o horário de almoço ou de pausas ao longo do dia. A dificuldade de concentração e conexão constante nas redes sociais impactam consideravelmente na produtividade e bem-estar do indivíduo, sobretudo nas empresas e pode até ser motivo de demissão.

E mais, ser o funcionário que navega demais enquanto todos ao seu redor estão concentrados nas atividades… você já pode imaginar como isso incomoda e gera antipatia na equipe, não é mesmo? E nenhum líder deseja uma pessoa assim, focada nas questões pessoais a maior parte do tempo. Então, se você deseja crescer profissional e financeiramente, esse caminho definitivamente não é o melhor. Gaste toda essa energia para encontrar soluções, aprender algo novo com alguém ou com uma situação, minimize os seus erros e potencialize suas capacidades e resultados.

  • AUSÊNCIAS NO TRABALHO

A sua empresa e o seu líder possuem uma relação de confiança em você e em relação ao trabalho que desempenha. Se o seu expediente é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e se as suas férias já estão marcadas para o fim do ano, então, neste período, a sua empresa conta com você. Imprevistos podem acontecer, realmente. Ficar doente, chegar mais tarde por causa de um exame de rotina, um trânsito mais congestionado num determinado dia. Essas coisas são comuns de acontecerem, porém quando começam a ocorrer constantemente se tornam falta de compromisso com a empresa e com os demais. Pessoas que sempre arranjam desculpas para faltarem ao trabalho perdem a confiança da equipe,  atrapalham o clima organizacional e a produtividade da equipe. Procure clínicas que atendam após o expediente, ou procure agendar atendimentos bem cedo, no final do expediente e próximos ao seu trabalho, quando possível.  Verifique como anda a sua saúde, alimentação, regularidade de atividades físicas, o seu sono e o que pode fazer para melhorar isso. Muitas vezes, uma mudança de hábito já melhora a situação consideravelmente.

Aproveite esse período para refletir a respeito das suas atitudes e como você pode melhorar um pouco a cada dia, ser mais feliz e menos estressado no trabalho.

Quer desenvolver habilidades ou competências, mudar hábitos nocivos para saúde e conquistar mais reconhecimento profissional,?

Fique com essa reflexão e, se quiser mudar comportamentos, administrar as emoções, desenvolver habilidades, aumentar o bem-estar e reduzir o estresse no trabalho, entre em contato pelo (31) 9.98580188 ou [email protected] .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.