Estresse pós-traumático: estratégias simples podem minimizar os riscos

Vivenciar ou assistir um acontecimento negativo, que causa sofrimento, medo e impotência, como a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), muda a vida das pessoas. A avalanche de informações, muitas delas carregadas com números de vítimas atualizados a todo momento, podem desencadear danos psicológicos graves às pessoas. Um deles, e que a incidência cresce a cada dia, é o chamado de Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT). Esse transtorno, além do sofrimento, afeta de forma significativa a qualidade de vida, tanto no aspecto social quanto profissional do indivíduo.

Continue a leitura desse artigo para saber as causas, sintomas e como minimizar os riscos do Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT).

O que pode desencadear o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT)?

Ataques terroristas, acidentes graves, atos violentos como assaltos e sequestros, desastres naturais e agressões físicas, psicológicas ou emocionais são algumas situações em que o TEPT pode surgir. No caso da pandemia do novo coronavírus, que registra um grande número de vítimas a cada dia e obriga as pessoas a se isolarem socialmente, acaba por gerar angústias e incertezas que podem ter graves consequências, despertando um alerta entre a comunidade de profissionais da saúde mental. Isso engloba também o risco para os profissionais da saúde que estão na linha de frente, que sofrem grande pressão e precisam de acompanhamento e atenção especial.

Se compararmos a pandemia atualmente vivida com efeitos psicológicos registrados em epidemias anteriores, como a SARS e o Ebola, podem ser devastadores. E, no momento, falta um posicionamento claro e um direcionamento das autoridades para que não aumente esse quadro de incerteza e desesperança.

Questões do âmbito financeiro também devem ser levadas em consideração. Isso porque a perda financeira pode ser um problema significativo e seus efeitos podem se estender por meses, acarretando grande sofrimento socioeconômico e psicológico no indivíduo e na sociedade.

Atente-se para os sintomas do Transtorno de Estresse Pós-Traumático

Muitos já estão sofrendo com insônia, tristeza, irritabilidade, desânimo, ansiedade, pânico e depressão. Mesmo que, aos poucos, as pessoas retornem às suas atividades habituais, pode demorar um tempo para que superem os medos e emoções experimentadas no período de isolamento social. Além disso, muitos ainda continuarão mantendo comportamentos de prevenção, mesmo meses após o término da quarentena e do período de isolamento.

Durante e após o evento traumático, a pessoa fica ansiosa, com um medo excessivo, que ações simples como atravessar a rua ou sair de casa se tornam experiências trágicas. Algumas pessoas podem ficar completamente bloqueadas ou em choque, não conseguindo seguir em frente.

Isso ocorre porque a pessoa cria uma ligação com o trauma, como se tudo fosse acontecer novamente, a qualquer momento, com a própria pessoa ou com algum ente querido. Há muito sofrimento físico, mental e emocional, que pode causar pesadelos, insônia, desânimo, incapacidade de agir, dentre outros sintomas.

Acompanhamento terapêutico para prevenir o Transtorno de Estresse Pós-Traumático

A pessoa que sofreu um TEPT precisa de acompanhamento médico, muitas vezes com uso de medicamentos, e terapêutico. Existem algumas linhas de tratamento: medicamentosa, terapia cognitivo-comportamental (TCC), hipnose, psicologia positiva, biofeedback e outras.

Contudo, nesses tempos de pandemia, o importante é buscar fontes de informação seguras, conversar e trocar ideias com amigos e com especialistas, evitar situações de “gatilho”,  utilizar estratégias simples que podem amenizar esse contexto e minimizar os riscos para a saúde mental.

Buscar uma válvula de escape sadia, como praticar meditação ou yoga, estabelecer uma rotina de exercícios físicos, manter os vínculos sociais e relacionamentos afetivos – mesmo que à distância, conversar e relembrar momentos alegres com os amigos e família, rever fotos, realizar vídeo chamadas, e buscar artifícios que aumentem a positividade e a esperança são o caminho. O que podemos oferecer uns aos outros é mais amor, gentileza, carinho, escuta ativa, compreensão dos sentimentos, e levar mais conforto às pessoas mais sensíveis.

Além disso, você pode contar conosco, da Meus Miolos, para auxiliá-lo(a) nesse processo, utilizando diversas estratégias que vão aumentar a positividade, a esperança, as perspectivas e alternativas para resolver as questões, aliviando o stress e a ansiedade.

Gostou do texto? Aproveite para se cadastrar no blog https://www.meusmiolos.com.br/blog/   e receba um presente, inscrever no canal https://www.youtube.com/isabelacapelao , ou agendar um horário para atendimento individual pelo (31) 99858-0188.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.