O que podemos aprender com os filmes

Aproveitando a ocasião do Oscar que ocorreu no dia 27 de março de 2022 e as indicações de filmes nas diversas categorias, escolhi três deles para comentar algumas lições aprendidas.

Eu adoro assistir filmes e séries, mas além do entretenimento, eles funcionam como uma forma de reflexões e aprendizados. Eu normalmente analiso a relação entre o filme e a vida e extraio algumas lições.

Hoje, em especial, vou compartilhar com vocês algumas percepções sobre os filmes: “Não olhe para cima”, “A filha perdida” e “Cruella”.  ➡️Ah, se você ainda não assistiu, ficam aqui uma boas dicas. E atenção: pode conter spoilers.

Indicado ao Oscar de 2022 como Melhor Filme e outras três categorias, “Não Olhe Para Cima” foi lançado em dezembro do ano passado e trouxe algumas reflexões para quem o assistiu. 🧠

Não é à toa que foi o 2º filme mais assistido na história da Netflix, plataforma de streaming em que é veiculado. O longa conta a história de dois astrônomos que descobrem um cometa mortal vindo em direção à Terra e partem em um tour de divulgação por meio da mídia para alertar a humanidade. Só que ninguém parece dar muita bola, nem mesmo as autoridades, e é aí que entram os aprendizados que podemos tirar do filme.

Negação:  a negação é um mecanismo de defesa em que a pessoa fecha os olhos para a realidade. No entanto, as consequências podem ser ainda piores do que aceitar o fato, encarar os acontecimentos e se preparar para reagir frente à situação.

Comunicação:  a forma como nos comunicamos merece atenção, é preciso que o outro realmente entenda nossa intenção com a mensagem que está sendo transmitida. Além disso, é preciso ter controle emocional para agir de forma adequada diante de provocações e não reagir impulsivamente.

Extremos: não deixe que as dificuldades cheguem ao extremo para você lidar com a situação ou dar valor para o que realmente é importante. Muitas vezes, precisamos agir rapidamente para que as consequências não sejam desastrosas.

Você assistiu o filme? Quais foram as suas percepções e aprendizados? Comenta aqui! 💬

O outro filme analisado foi  “A Filha Perdida”, dirigido por Maggie Gyllenhaal, vencedora de um Globo de Ouro, é uma adaptação do livro da autora Elena Ferrante – um pseudômino. Com grandes nomes da atuação, como Olivia Colman, indicada para o Oscar de melhor atriz, Jessie Buckley recebeu a indicação de melhor atriz coadjuvante e o filme na categoria de  melhor roteiro adaptado.

O longa metragem, disponível na Netflix traz uma reflexão tocante sobre maternidade, individualidade e culpa, com um desfecho que deixou em aberto muitas possibilidades de interpretação.

Realmente, o filme nos faz pensar sobre várias questões. A personagem é muito ambígua e se expressa mais por meio de sensações, percepções, sentimentos e pouco pela fala, o que desafia a nossa capacidade de interpretação sobre o que se passa e o que se passou com a protagonista. Inclusive, em alguns momentos, nos sentimos tentados a julgar o comportamento dela, o filme é um exercício de empatia e  sensibilidade. Aliás,  ele trata de dificuldades e desgastes referentes à maternidade de um jeito que não é muito aceito pela sociedade.

Algumas lições que podemos aprender com o filme:

  • A fuga, às vezes, parece ser a única opção para a sobrevivência, porém pode se tornar uma armadilha;
  • Toda escolha envolvem perdas e ganhos e é preciso saber lidar com esse fato;
  • Remoer o passado e sentimentos como a culpa podem ser dolorosos ao extremos, se não forem bem elaborados;
  • A percepção dos padrões de repetição de comportamentos nos possibilita enfrentar os conflitos, superar os medos e mudar.

Você assistiu o filme? Quais foram as suas percepções e insights? Comenta aqui! 💬

O terceiro filme desse post é Cruella.

Provavelmente você já ouviu falar do nome Cruella, a “vilã” do clássico filme Os 101 Dálmatas, da Disney. Então, em maio de 2021, foi lançado o live-action da antagonista mais lendária, icônica e fashion das animações.

Sua originalidade foi tão surpreendente que chamou a atenção do Oscar, a maior premiação cinematográfica do mundo, que ocorre todos os anos. Por isso, a obra foi indicada em duas categorias: “Melhor figurino” e “Melhor maquiagem e cabelo”. 🎥🎬︎

Ambientado na Londres dos anos 70, o filme mostra Estela/Cruella como uma jovem vigarista e ao mesmo tempo inteligente, criativa e muito determinada. Seu talento chama a atenção da Baronesa Von Hellman, uma estilista lendária. Contudo, o relacionamento delas desencadeia uma série de eventos e revelações que farão com que Estella abrace seu lado rebelde e liberte a Cruella.

Decidi comentar também sobre esse filme, pois me trouxe muitas reflexões e aprendizados. Descubra as 5 lições e comente aqui as suas percepções.

  • Seja autêntico: Não dá para negar que a Cruella dá um show de autenticidade. Quando criança, há trações tanto de sua personalidade quanto de sua aparência que a difere dos demais. E apesar do esforço da sua mãe em tentar escondê-los, quando ela se aceita é que sua vida começa a fazer sentido.
  • Não desista dos seus sonhos: No filme, Cruella enfrenta muitas dificuldades até ser reconhecida como a grande estilista que é. Porém, ela não deixou que esses desafios a desanimassem e, muito pelo contrário, a deixaram mais forte. Na vida, nada é fácil, principalmente no início e, por isso, é necessário um esforço maior e persistência até alcançarmos os nossos objetivos, valorizando cada pequena conquista.
  • Todo mundo tem um lado luz e um lado sombra: Mesmo sendo considerada vilã por muitos anos, esse remake da Disney nos mostrou que a Cruella tem um lado de luz. Seu lado sombra é perceptível quando, em algumas situações, ela é exageradamente dura consigo mesma e com os outros. Isso não a impediu de agir com o seu lado luz e ajudar os outros. Cabe a cada um saber qual lado deseja alimentar – o seu lado luz ou o seu lado sombra.
  • Ressignifique o seu passado: Cruella teve um passado difícil e foi exposta, desde pequena, a muitos traumas. Mesmo assim, ela passou por cima das dificuldades e não deixou que isso a impedisse de seguir atrás dos seus sonhos. Quando vencemos nossos medos e traumas, nosso potencial nos leva ao topo.
  • Aceite ajuda e seja grato: Para conseguir realizar o seu sonho de ser estilista, Cruella teve ajuda de amigos que sempre estiveram presentes em sua vida e ela foi muito grata por tudo que eles fizeram. Na vida real, também é assim, ou seja, precisamos pedir e aceitar ajuda e expressar gratidão a todos que fizeram da nossa caminhada um futuro possível.

Você gostou das lições que observamos e compartilhamos? Você aprendeu mais alguma coisa com esses filmes? Gostaria de dar sugestões sobre outros filmes ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.