Insatisfação crônica

arte blog insatisfação crônica

Você já sentiu em algum momento da sua vida, que não importa o que você fizer, nunca é suficiente? Nada está bom, ao contrário, é ruim ou até péssimo? Sensação de insatisfação com tudo e irritação com todos ao seu redor?

A insatisfação crônica nos dá uma sensação de que nada na nossa vida se conecta, que podemos ter muito mais que dispomos hoje, de que tudo está ruim, nada acontece do jeito que deveria acontecer. Nada é o bastante, o amor nunca é tão intenso e verdadeiro como deveria, a profissão nunca satisfaz e o chefe sempre é o pior, os amigos nunca são tão presentes como deveriam ser, a família não nos compreende, tudo está contra nós! Remamos contra a maré e nos perdemos, esgotamos em insatisfação e o risco é grande até tomarmos consciência de que o problema maior não são os outros e sim uma desconexão com nós mesmos.

Na realidade, algo internamente pode não estar bem e isso o(a) faz enxergar o problema como se ele fosse externo e muitas vezes como se não existisse solução. Essa incapacidade de resolver tal problema, ao se tornar repetitiva pode gerar frustração. Além disso, a sua exigência pode ser tão alta que nada que aconteça será suficiente e poderá manter-se num estado de lamentação eterna.

O tema dessa semana no blog é insatisfação crônica, síndrome que afeta mais pessoas do que podemos imaginar. Confesso que não gosto de rotular as pessoas com nome de doenças, síndromes ou estados emocionais, porém nesse texto é uma maneira de você entender melhor a diferença entre o que é momentâneo e o que é crônico e as possíveis soluções. Algo é momentâneo ou situacional quando ocorre em uma determinada situação ou fase da vida ou direcionado a algo/alguém específico. E se torna crônico quando esse sentimento de insatisfação e irritação é generalizado e ocorre com frequência.

O insatisfeito crônico está frequentemente descontente e aborrecido com a vida, nada está bom ou agradável. O primeiro passo é identificar se isso está acontecendo na sua vida antes que você atinja um nível no qual começam a aparecer doenças, afastar os amigos e pessoas que estão próximas a você. Se você percebe que uma vez ou outra uma irritação e insatisfação dominam você, é um motivo para buscar quais são os momentos que desencadeiam tal emoção e isso o ajudará a encontrar soluções.

É preciso entender que a insatisfação, quando crônica é uma sensação frequente, latente na vida da pessoa, não pode ser confundido ou comparado com algumas situações específicas, como por exemplo a TPM (Tensão Pré-Menstrual),que muitas vezes é utilizada como uma justificativa ou desculpa para muitas emoções e atitudes negativas.

Essa sensação de insatisfação pode ser considerada um excelente alerta, ou seja, precisa ser dado atenção a algo que está ruim e precisa mudar. Pode significar um sintoma da história que tem por trás disso, ou acompanhado de outros sintomas físicos como dor de cabeça, baixa imunidade, aumento de peso ou diabetes. É mais fácil as pessoas darem atenção e perceber algo disfuncional a partir de sintomas físicos e dão pouca importância aos sintomas psicológicos. Então, acham que a insatisfação é o problema e pode ser apenas o sintoma. Podemos dizer que o sintoma denuncia que o equilíbrio interno foi rompido.

As pessoas são mais movidas pela insatisfação ou desconforto por algo, ou seja, pela dor, do que pelo prazer em alcançar algo. Ambos são motivadores, mas parece que tem mais efeito sermos empurrados do que puxados. Dessa forma, emoções negativas são um importante ingrediente para a evolução e para o desenvolvimento pessoal e profissional dos indivíduos. Precisamos que algo desagradável nos chame atenção para o que está acontecendo.

E dentre as várias emoções negativas que a insatisfação crônica gera, podemos citar a raiva, que em alguns nessas condições, e sem controle, podem até cometer atos dos quais nunca se julgariam capazes. Ao ser tomado pela raiva, ela é capaz de acabar com o poder do raciocínio no impulso, devido à incapacidade cognitiva gerada pela produção de hormônios e à estimulações cerebrais que regulam as emoções.

Algumas dicas importantes para ajudar na sua insatisfação são: olhar para dentro de si e tentar entender qual história esse sintoma está lhe contando, enxergar as situações pelo lado positivo, identificar coisas simples que lhe fazem bem e praticar, permita-se errar e buscar diversas alternativas para resolver um problema, desapegar um pouco das expectativas e do nível alto de exigência, procurar ter em mente o que você deseja e os resultados aceitáveis, respirar profundamente.

É importante começar a treinar a aceitação, de si e do outro.
A vida é feita de pessoas, as pessoas são imperfeitas, as coisas são imprevisíveis e não temos controle sobre tudo.

Você se reconhece em alguma dessas situações? Você conhece alguém assim, insatisfeito com tudo?

Imagine como seria se você sentisse satisfação e cultivasse emoções positivas com simplicidade?
Aqui na Meus Miolos podemos te ajudar.

Que tal então a compartilhar esse conteúdo para ajudar as pessoas a viverem de forma mais leve e feliz.

3 comentários

Deixe um comentário
  • Também sinto insatisfação crônica, há muito tempo, só tem piorado. Já afetou minha vida social, familiar, profissional. Estou sobrevivendo, sinto que deixei de viver há muito tempo. Agradeço as dicas, não sei se nesse estágio conseguirei sair desse caos somente com elas, mas vou tentar fazer sim. Estou em cacos faz alguns anos. Obrigada

  • estou com esses sintomas, estou na minha melhor fase e mesmo assim nao consigo me sntir satisfeita com nada, parece uma etrnidade de sentimentos ruins como se eu nuncs ficasse feliz com nada.

    com isso ESTOU PREJUDICANDO MEU CASAMENTO E MINHA VIDA SOCIAL PARECE QUE ME TRANSFOEMI EM UMA PESSOA QUE NAO CONHEÇO MAIS,PENSEI A MIHA VIDA TODA QUE NADA DE BOM ACONTECIA PARA MIM E AGORA QUE TUDO ESTA MARAVILHOSO EU SO TENHO NUTRIDO PENSAMENTOS NEGATIVOS OU SEMPRE QUERENDO SEMPRE MAIS .

    • Olá Lidiane! Tudo bem?
      Em primeiro lugar, fique tranquila que, em alguns momentos da vida, isso é comum. O que não se pode fazer é deixar como está e viver insatisfeita, não é mesmo?
      Então, tenho algumas perguntas para fazer e que sirvam de reflexão e algumas dicas que podem te auxiliar a encontrar respostas e a mudar o seu estado emocional. Porém, esse assunto é muito extenso e varia muito de acordo com a pessoa, então é só uma orientação mesmo.
      – Pense nos diversos âmbitos da sua vida: saúde e disposição, carreira, família, realização e propósito, recursos financeiros, relacionamento amoroso, vida social, hobbies e lazer, espiritualidade.
      De 0 a 10, qual o seu grau de satisfação em cada uma das áreas? E qual a área que, se você aumentar o grau, você impacta a maior parte das outras?
      O que você pode fazer ou que ajuda pode buscar para potencializar essa área da sua vida e assim, todas as outras?
      – Dicas: Se possível, pratique meditação e exercícios físicos diariamente, tome sol e entre em contato com natureza, aprecie a beleza da natureza e das coisas simples, faça um diário da gratidão e todos os dias escreva 3 coisas pelas quais você é grata, escolha uma pessoa do seu ciclo de relacionamentos para entrar em contato cada dia e conversar, faça uma lista de tudo o que você gosta de fazer e dos lugares que deseja conhecer, defina objetivos de vida com prazos para concretização, dê risadas todos os dias e pratique yoga do riso!
      Pode ter certeza que seguindo esses passos você vai ficar bem melhor! Faça uma forcinha no início.
      De forma detalhada, você pode navegar no blog Meus Miolos e no canal do youtube Isabela Capelão que você vai encontrar muitos vídeos e muito conteúdo para te ajudar nesse processo.
      Comente aqui abaixo o que achou das dicas e qualquer dúvida, estou à disposição!
      abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.