Autoliderança: seja líder de si mesmo

Antes de comentar sobre o conceito de autoliderança, acredito ser importante iniciar pela liderança.

De forma geral, as competências de um líder são: ter uma mente aberta, ter uma visão de futuro (saber onde quer chegar),  inspirar e dar exemplo, motivar,  elevar a equipe, ir atrás da visão. O líder é aquele que vai na frente, apontando o caminho e orientando.

Quando falamos em liderança, logo as pessoas associam ao mundo organizacional, a uma equipe, mas ser líder de si mesmo é uma habilidade cada vez mais necessária no mundo de hoje, sobretudo para a pessoa administrar a própria vida, tanto no exercício profissional quanto nos diversos papéis do dia-a-dia.

Deixe de lado a ideia de que liderar significa vencer à força, enfiar algo goela abaixo, comandar. O líder é, na realidade, aquele que primeiramente comanda a si mesmo com autoconsciência e, assim, consegue despertar inspiração e senso de colaboração.

Ser líder de si mesmo é antes de tudo uma atitude que é tomada pela própria pessoa com a intenção de ser melhor do que já é, assumindo as responsabilidades por suas ações, por suas escolhas, é ampliar as oportunidades, superando-se a cada dia. É aprender a fazer a gestão dos seus pensamentos e emoções, ter a consciência e responsabilidade por seus comportamentos e o impacto que causa nos outros, ter consciência de que não pode mudar o outro e somente a si mesmo. É comprometer-se consigo mesmo e automotivar-se, ter objetivos e metas claras, sem esperar isso dos outros. É ter autocuidado: com seus hábitos, sua saúde, seus comportamentos e postura diante da vida.

A vida, seja no âmbito pessoal ou profissional, é um projeto individual no qual cada um constrói a sua trajetória por ser inteiramente livre e responsável pelas escolhas diárias. O que nós todos temos em comum é o desejo de que nossas vidas sejam de crescimento, oportunidades, desenvolvimento, aprendizados e evolução contínua. Ninguém nunca me falou que deseja ser um ninguém na vida, que não quer alcançar nada, que deseja ser mal sucedido, que não quer crescer. Porém as pessoas muitas vezes preferem ficar estacionadas a tomar uma atitude. Todos nós buscamos construir uma carreira de sucesso e obter maior qualidade de vida. Para isso, precisamos aprender mais sobre o nosso funcionamento interno.

Os pais são os maiores exemplos para os filhos. A sua atitude diária e a forma como os pais reagem e resolvem os problemas, a maneira de superar frustrações e contrariedades vai interferir significativamente nessa capacidade dos seus filhos, pois é esse o tipo de liderança que ele enxerga, e ele certamente vai repetir.

As empresas buscam hoje profissionais que foquem na autogestão da sua performance, que consigam desenvolver habilidades para melhorar resultados e buscar a excelência nas mais diversas competências exigidas nas relações corporativas. Profissionais que saibam usar a seu favor a inteligência emocional e comportamental. Vemos hoje profissionais que são admitidos por suas habilidades técnicas e demitidos por seus comportamentos.

O grande desafio de tornar-se líder de si mesmo é assumir as responsabilidades sobre as consequências das escolhas, das decisões, é ser autor e protagonista da própria história, reconhecer erros e aprender com eles, libertar-se de pensamentos limitantes e de emoções negativas.

As pessoas precisam transformar a insatisfação negativa (reclamação, resmungo) em insatisfação positiva, que é a inquietação, é o que movimenta a vida, que tira a gente do lugar, do comodismo.  Quando tá tudo muito bom, algo precisa ser feito que gere insatisfação e novos desafios surgirem.

A liderança não é um dom de nascença e nem é algo que você faz um curso e pronto, sou líder de mim mesmo! Muitos já possuem o espírito de liderança, tiveram mais oportunidade de exercê-la, outros precisam desenvolvê-la.  Todo desenvolvimento de habilidade requer prática, treino e persistência.

Abaixo seguem 6 passos que vão te orientar nesse processo de desenvolvimento:

  1. Amplie seu autoconhecimento;
  2. Tenha controle, domínio sobre si mesmo;
  3. Alinhamento entre o interno e o externo (coerência entre o que se pensa e como se comporta);
  4. Foque na solução, para cada problema crie 03 possíveis soluções alternativas;
  5. Elabore um planejamento objetivo e realista: objetivos SMART (específico, mensurável, atingível, relevante, temporal/prazo);
  6. Crie um visão do futuro: determine objetivos pessoais ou profissionais a serem atingidos daqui a um, cinco e dez anos.

Quando a pessoa descobre que a resposta que busca fora está dentro dela mesmo, vira a chave. Porque as mudanças comportamentais acontecem de dentro para fora, e são regidas diretamente pelos nossos pensamentos e programas mentais.

A forma mais rápida e duradoura de desenvolver a liderança é por meio de metodologias voltadas para o autoconhecimento, como  a análise de perfil comportamental, o coaching, a PNL (programação neurolinguística), terapias, dentre outras. São ferramentas para despertar e desenvolver o líder interior por meio de exercícios e reprogramação mental. Todas essas soluções e outras mais você encontra aqui na Meus Miolos, estamos dispostos a ajudá-lo no desenvolvimento da autoliderança num processo de excelência e elevação da performance.

Esse foi o tema do Programa Revista BHNEWS. Clique aqui e assista:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Copyright © 2014-2017. Desenvolvido por Atlas Design.